Problemática

A avaliação é uma prática presente em todos os domínios da actividade Humana, através de processos conscientes, intencionais, organizados e delimitados temporalmente, mas também por meio de processos difusos, pouco estruturados e visíveis, na pluralidade de tempos e espaços da acção quotidiana. Nos domínios da educação e da formação, as últimas décadas foram marcadas pelo aumento de visibilidade do campo da avaliação, tendência concomitante com a sua formalização, tecnicização e profissionalização. A diversidade de práticas, de actores, de destinatários, de contextos, de abordagens, de metodologias e de instrumentos, tornaram o campo da avaliação muito complexo, dando origem a problemas de delimitação, a tensões, mas também a influências mútuas entre o campo técnico e científico da avaliação.

O campo da avaliação está intrinsecamente associado à atribuição de juízos de valor, que permitem julgar, provar, decidir e orientar a acção futura, neste sentido, é atravessado por dimensões éticas e deontológicas, sendo importante uma vigilância crítica permanente. A avaliação em educação e formação ao estabelecer relações entre as situações existentes e as idealizadas ou desejáveis, para além da questão dos meios, dos processos, dos resultados, das metodologias e dos modos de trabalho pedagógico, coloca-nos na senda das finalidades da acção educativa e formativa, ou seja, no seu âmago.

Por outro lado, as políticas e práticas de avaliação estruturam-se num espaço ideológico marcado por tensões e ambivalências, geradas, num contínuo, entre dois polos: o polo da regulação no sentido do controlo, da selecção e da adaptação, e o polo do desenvolvimento individual e colectivo, orientado para a mudança de práticas e emancipação. Neste sentido, a investigação pode contribuir para a consolidação epistemológica, teórica, metodológica, ética e deontológica do campo da avaliação, numa linha de questionamento, de reflexão e análise crítica, o que se afigura essencial para aumentar a lucidez sobre a complexidade, diversidade e ambivalência das políticas e práticas de avaliação em educação e formação.

Eixos estruturantes da reflexão e debate

  1. Avaliação de Políticas, Programas e Projectos em Educação e Formação 
  2. Avaliação de Organizações e de Desempenho 
  3. Avaliação de Aprendizagens e de Competências 
  4. Avaliação dos Actores e dos Processos de Formação
  5. Avaliação da Investigação